Portal das Comunidades Portuguesas

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Turquia

 

  Última atualização: 2016-09-09

Nota introdutória:

As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações e conselhos, sendo, além do mais, passíveis de alteração, a qualquer momento. Nem o Estado Português, nem as representações diplomáticas ou consulares, poderão ser responsabilizadas pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens, daí decorrentes.

Aviso

Na sequência do início da operação militar do exército turco em território sírio, contra as posições do Daesh/ISIL e dos curdo-sírios do PYD/YPG, não se descarta a possibilidade de ações retaliatórias em território turco, pelo que se recomenda uma vigilância redobrada no quotidiano, assim como a observância escrupulosa dos conselhos aos viajantes, específicos para a Turquia, disponíveis nesta página.

A 21 de julho, o Parlamento turco aprovou a declaração do estado de emergência, com vigência inicial de 3 meses, em todo o território desse país. No que respeita implicações que estado de emergência possa causar aos nossos nacionais, recomenda-se que os cidadãos portugueses transportem sempre consigo o passaporte (com a folha separada do visto, caso tenham recorrido ao e-visa – para os turistas/visitantes) e o cartão de residência (para os membros da comunidade portuguesa residente neste país). Da mesma forma, sugere-se a adoção de perfil discreto, evitando aglomerações e obedecendo sempre instruções das autoridades turcas

Na sequência da tentativa de golpe de Estado na Turquia que teve início a 15 de julho, onde pereceram 240 pessoas, o país atravessou um momento de grande estabilidade.

No dia 28 de junho 2016, três bombistas suicidas atacaram o Terminal Internacional do Aeroporto Atatürk, em Istambul, provocando 44 mortos e 239 feridos.

No dia 17 de fevereiro 2016 um ataque com um carro armadilhado, no centro de Ancara, em Kizilay, provocou pelo menos 30 mortos e 60 feridos.

No dia 12 de janeiro de 2016 ocorreu uma violenta explosão na zona histórica de Sultanahmet, em Istambul, que causou 13 mortos e 15 feridos.

No dia 10 de outubro de 2015 um ataque junto à estação de caminho-de-ferro de Ancara, causou 102 mortos e mais de 400 feridos.

Tendo em conta o atual contexto regional, a proximidade da Turquia em relação aos conflitos na Síria e Iraque, combates entre o PKK e as forças de segurança turcas, no leste do país, aconselha-se vivamente aos portugueses que se desloquem à Turquia que sejam extremamente vigilantes, em particular nos pontos turísticos e em todos os locais de maior afluência de pessoas, evitando concentrações e deslocações à região do sudeste do país, que não sejam, por fundadas razões, absolutamente necessárias;  

Recomenda-se, ainda, um elevado grau de vigilância e precaução, especialmente na rede de transportes públicos ou centros comerciais. Será de evitar, nomeadamente, multidões e manifestações de qualquer natureza e, ainda, tanto quanto possível, imediações de edifícios militares ou proximidade de edifícios públicos, sobretudo dos que são sede de departamentos oficiais. Recomenda-se a estrita observância das recomendações e indicações das autoridades locais, acompanhando, nomeadamente, as notícias difundidas pelos meios de comunicação social, bem como as informações e conselhos pontualmente divulgados pela Embaixada de Portugal.

Desaconselha-se em absoluto a estadia ou mesmo visita às zonas de fronteira com a Síria e o Iraque, assim como a algumas províncias do sudeste (v. condições de segurança). No entanto, nos casos em que seja absolutamente necessária a deslocação a alguma dessas zonas, recomenda-se vivamente que a Embaixada de Portugal seja adequadamente informada, com a devida antecedência.

Todos os nacionais ao abrigo de programas de intercâmbio, missões económicas/desportivas ou outras devem comunicar, com antecedência possível, a intenção de se deslocarem à Turquia, enviando as coordenadas relativas ao período de permanência, local, nomes completos e, na medida do possível, contactos telefónicos para o Gabinete de Emergência Consular: gec@mne.pt.

Aconselha-se o registo consular na Embaixada de Portugal em Ancara, de todos os cidadãos portugueses que visitem a Turquia, independentemente do período de estadia. 

Informação Geral

Clima

O Inverno é ameno nas costas do Egeu e do Mediterrâneo. Contudo, no planalto central da Anatólia, o Inverno é mais rigoroso, registando-se temperaturas negativas e frequentes nevões, nos meses de Novembro a Fevereiro. Nos meses de Junho a Setembro, sobretudo na costa mediterrânica, as temperaturas são bastante elevadas.

Língua

A língua oficial é o Turco.

Moeda local / sistema bancário

Moeda local: lira turca.

Os bancos funcionam de acordo com os padrões atuais, estando geralmente abertos todos os dias úteis entre as 9.00-13.00 e 13.30-17.00. Os cartões de débito/crédito são amplamente aceites na generalidade dos estabelecimentos comerciais, como supermercados, restaurantes, hotéis, lojas e postos ATM.

Regime de entrada e estada

Regime de vistos:

Cidadãos portugueses titulares de passaportes oficiais (Diplomáticos, Especiais e de Serviço), em turismo e/ou em trânsito, podem entrar no território da Turquia sem necessidade de visto e aí permanecer por um período não superior a 90 dias por semestre (6 meses), a contar da data da primeira entrada.

Titulares de passaportes comuns/ordinários necessitam de visto para entrar na Turquia. (Para informações sobre vistos consultar o site do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Turquia: http://www.mfa.gov.tr/visa-information-for-foreigners.en.mfa).

Documentos necessários para entrar a Turquia:

Desde 1 de março de 2013, para além do passaporte comum/normal, os cidadãos portugueses podem apresentar, alternativamente, como documento de identificação os respectivos cartões de identidade nacionais válidos (Cartão do Cidadão/BI). Não precisam pois de passaporte, para entrarem na Turquia.

Como obter visto?

1. Os cidadãos portugueses que pretendam viajar para a Turquia, em turismo, poderão obter os respetivos vistos através do sistema eletrónico e-Visa (www.evisa.gov.tr).

Este sistema permite a obtenção de um visto eletrónico em poucos minutos. Apenas será necessário entrar no site www.evisa.gov.tr e providenciar as informações solicitadas. Após aprovação do pedido, o respetivo pagamento deverá ser efetuado online. O e-Visa é então enviado para o endereço eletrónico do viajante. O e-Visa tem um custo de 15€. O pagamento poderá ser feito com cartões de débito ou de crédito.

Nota importante: O único site oficial para solicitar o e-Visa é: https://www.evisa.gov.tr

Os operadores turísticos poderão solicitar vistos eletrónicos de grupo.

Alternativamente, os visitantes que chegarem à Turquia sem vistos poderão obter os vistos eletrónicos nos aeroportos turcos em quiosques interativos. Este selo turístico tem geralmente uma validade de 90 dias por um período de seis meses e deverá sempre acompanhar o turista. Este visto eletrónico tem um custo de 25€ (é mais caro que o visto comprado on.line). (Para mais informações consulte: https://www.evisa.gov.tr/en/info/i-do-not-want-to-apply-for-an-e-visa-can-i-get-a-visa-on-arrival/)

Para evitar o seu extravio/perda, recomenda-se que o mesmo seja colado num suporte documental (por exemplo, um passaporte). Não deve, em caso algum, deixar caducar o selo (90 dias), pois tal pode implicar pesada multa.

2. Já os vistos de longa duração (e.g.: estudantes Erasmus; trabalho; transporte de mercadorias e passageiros; negócios) devem ser previamente solicitados à Secção Consular da Embaixada da República da Turquia, em Lisboa (ou Embaixada da Turquia no local de residência do interessado), sendo nesses casos necessária a apresentação de passaporte válido. O visto tem um custo 60€.

Assim, os cidadãos portugueses que pretendam viajar para a Turquia em trabalho, ou para outro tipo de estadia de longa duração, ou que sejam motoristas de viaturas pesadas de transporte de mercadorias, devem começar por efetuar o pedido de visto através do “Sistema de Pré-Candidatura de Visto para a Turquia” (www.visa.gov.tr). Os dados necessários para o pedido de visto deverão ser carregados no sistema, pelos próprios interessados.

Após a aprovação da candidatura online, os candidatos recebem uma referência, com a qual devem dirigir-se à missão diplomática turca da área da respetiva residência, de forma a terminar o procedimento, apresentado o formulário de pedido de visto devidamente assinado, passaportes e cópias dos documentos de candidatura, anteriormente descarregados do sistema. (Para informações sobre tipos de visto consultar o site do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Turquia: http://www.mfa.gov.tr/visa-information-for-foreigners.en.mfa).

Na posse do visto adequado, o portador, uma vez chegado à Turquia, deve dirigir-se tao rapidamente quanto possível à Delegação Regional da Direcção-Geral de Assuntos Migratórios - “Göç Idaresi Genel Müdürlügü” http://www.goc.gov.tr/main/Eng_3# - da sua área de residência, a fim de obter a respetiva autorização de residência (“Ikamet”) e correspondente documento comprovativo. Alternativamente, a autorização de residência pode ser solicitada por via eletrónica: https://e-ikamet.goc.gov.tr/

Nota importante: A entrada na Turquia como turista e a pretensão de continuar no país como “residente” ou com um “visto de trabalho” é uma prática irregular. Pelo que se reitera que todos os cidadãos portugueses que pretendam trabalhar ou residir no país deverão antecipadamente tratar do visto necessário, junto da Embaixada da Turquia em Lisboa.

O governo Turco aplica taxas pela emissão de autorizações de residência aos cidadãos naturais de países terceiros. Segundo a tabela de emolumentos, os cidadãos portugueses passam a ter que suportar um custo aproximado de 60€ (validade de 1 ano) por cada autorização de residência emitida.

Condições de segurança

A segurança nos principais centros turísticos ou de maior afluência de público (Ancara, Istambul, Izmir, Antália e Capadócia), não é, em circunstâncias normais, particularmente preocupante. Há um maior risco de confrontos entre manifestantes e polícia em datas de especial relevância ou simbolismo, como por exemplo 21 de Março (Newruz) ou 1 de Maio. Siga sempre as recomendações das autoridades locais. Recomenda-se atenção especial nas seguintes áreas:

Ancara

Mantenha elevado grau de vigilância nas principais zonas turísticas de Ancara. Evite todas as manifestações, em especial em Kizilay e Ulus, pois até reuniões pacíficas podem desencadear em confrontos ou incidentes violentos.

Istambul

Mantenha um elevado grau de vigilância, sobretudo nas principais zonas turísticas de Istambul. Evite todas as manifestações, em especial na Praça Taksim, pois até reuniões pacíficas podem degenerar em incidentes violentos e confrontos com as forças de segurança.

Izmir, Antália e Capadócia

Mantenha um elevado grau de vigilância nas principais zonas turísticas. Evite todas as manifestações, pois até reuniões pacíficas podem degenerar em incidentes violentos e confrontos com as forças de segurança.

Fronteira Turquia-Síria

Tendo em conta as tensões existentes e o facto de se tratar duma região fronteiriça por excelência, onde o potencial de ameaças terroristas ou de confrontos ou atentados violentos, de origem terrorista é, por principio, muito elevado e tendo em conta a arrastada guerra na Síria e a instabilidade que se vem vivendo no Iraque, são desaconselhadas, em absoluto, todas as viagens não-essenciais para aquela região, designadamente as que tenham como destino as províncias do sudeste da Turquia, Siirt, Sirnak, Mardin, Şanliurfa, Gaziantep, Kilis e Hatay. Sugere-se muito cuidado, também, noutras províncias da região, como Diyarbakir, Van, Osmaniye, Bitlis, Batman e Adiyaman.

Fronteira com o Iraque

Desaconselha-se em absoluto qualquer travessia da fronteira terrestre com o Iraque. Embora a mesma seja estritamente inspeccionada pelas autoridades turcas, os vários movimentos terroristas activos na região constituem uma ameaça séria à segurança de pessoas e bens. São desaconselhadas todas as viagens não-essenciais para a região, designadamente para as províncias de Siirt, Sirnak e Hakkari.

Região sudeste da Turquia

Tendo em conta o elevado grau de instabilidade e violência que sem vem vivendo na região do sudeste da Turquia , os frequentes confrontos violentos entre forças de segurança e elementos do PKK e o grande potencial de ameaça de ações violentas ou de terrorismo urbano, recomenda-se aos cidadãos portugueses que mantenham um elevado e constante nível de vigilância. Desaconselham-se, em absoluto, deslocações por terra e por maioria de razão, as que sejam feitas de forma solitária ouisolada. Nos casos em que por razões ponderosas seja imprescindível a utilização de automóvel, recomenda-se que a condução se faça apenas durante o dia e pelos itinerários principais e, de preferência, nunca de forma solitária e isolada. Naquelas regiões, desaconselha-se a utilização de transportes públicos. Recomenda-se que os cidadãos se registem e mantenham contato permanente com a Embaixada de Portugal em Ancara. Em suma, são desaconselhadas todas as viagens não-essenciais para a região, designadamente para as províncias de Diyarbakir, Van, Osmaniye, Bitlis, Batman e Adiyaman, para além das províncias fronteira com a Síria e Iraque.

Terrorismo

Existe uma ameaça terrorista significativa na Turquia. A probabilidade de eventos desta natureza ocorrerem continua a ser elevada. Em todo o país foram adoptadas medidas de alta segurança de combate ao terrorismo. Esteja sempre atento ao ambiente circundante, em particular quando na proximidade de instalações militares e de segurança, e em áreas com grande concentração de transeuntes, nomeadamente em hotéis, estabelecimentos comerciais, bazares ao ar livre, lugares públicos, zonas turísticas e rede de transportes públicos. Evite multidões e manifestações de qualquer natureza.

Raptos

Há uma ameaça de sequestro sobretudo ao longo das fronteiras com a Síria e o Iraque, onde grupos extremistas muçulmanos procuram tirar proveito das fronteiras porosas e da situação de insegurança para realizar operações dessa natureza. Grupos como o ISIL/Daesh ou a Frente Jabat Al Nusra utilizam frequentemente o sequestro em contrapartida da obtenção dum resgate como forma de obtenção de fundos financeiros, podendo servir-se, para tal, como alvo preferencial, da população local, cidadãos estrangeiros ou trabalhadores ao serviço de organizações humanitárias estrangeiras.

Fronteira com a Arménia

A fronteira com a Arménia encontra-se fechada.

Região do Monte Ararat

O Monte Ararat, situado no leste da província Ağri, constitui "zona militar especial". A prática de alpinismo só é permitida com a permissão das autoridades e o devido acompanhamento por um guia profissional. No passado, ocorreram vários sequestros nesta montanha.

Outras informações importantes

Números de contacto de emergência: -

- Polícia: 155;

- Emergência médica: 112;

- Bombeiros: 110;

- Polícia em áreas rurais (jandarma): 156.

Pdf - Lista de contactos Úteis

Transporte sempre consigo o seu B.I./Cartão do Cidadão, juntamente com uma fotocópia do seu passaporte, guardando no cofre do hotel, ou noutro local seguro, o passaporte original. A verificação dos documentos legais e a revista de pessoas e bens, pelas autoridades policiais pode ocorrer a qualquer momento, sem aviso prévio, sempre que por algum motivo se justifique fazê-lo, especialmente nas regiões do Sudeste.

Transportes

Transporte aéreo

Aeroportos internacionais: Adana, Ankara, Antakya, Antalya, Bodrum, Bursa, Dalaman, Erzurum, Eskişehir, Gaziantep, Istanbul (Aeroporto Ataturk e Aeroporto Sabiha Gökçen), İzmir, Kayseri, Konya, Kütahya, Malatya, Nevşehir, Ordu/Giresun, Samsun, Şanlıurfa e Trabzon.

Transporte rodoviário

Caso circule de automóvel, é necessário ter em atenção o estado de conservação das estradas e a observância das regras de trânsito. Encontram-se facilmente oficinas e estações de serviço em todos os povoados e a população oferece assistência e apoio, geralmente de forma generosa e acolhedora.

A carta de condução portuguesa é aceite como válida para os cidadãos que estejam na Turquia em turismo (estadia máxima de três meses). No entanto, os portugueses residentes na Turquia necessitarão, ainda, de uma tradução desta licença, devidamente certificada por notário, ou pela Embaixada.

Cuidados de saúde

Não existe obrigatoriedade de vacinação preventiva para entrar na Turquia. Devido à recente epidemia de poliomielite que afetou alguns países, nomeadamente o Afeganistão, a Índia, o Paquistão, a Nigéria e o Tajiquistão, todos os viajantes que viajem para aqueles países, via Turquia, poderão ser obrigados a fazer prova de vacinação contra a referida doença. A rede sanitária ainda apresenta algumas deficiências, sobretudo no planalto anatoliano. A sua qualidade é razoável nos principais centros turísticos. É aconselhável o consumo de água engarrafada. Aconselha-se a subscrição de uma apólice de seguro junto de uma companhia de seguros estrangeira que cubra igualmente as despesas médicas, incluindo o internamento hospitalar e repatriação médica.

 

Telecomunicações

Não se verificam problemas significativos, exceto em algumas localidades do interior da Turquia. Ocasionalmente existem limitações no acesso à internet, sobretudo após atentados, desacatos ou manifestações menos pacíficas.

Informações úteis

Embaixada de Portugal em Ancara

Morada: Kirlangiç Sokak 39, GOP – Çankaya 06700 - Ankara

Telefone (Embaixada): (00 90) 312 405 41 01 / 09

Telefone (Secção consular): (00 90) 312 405 60 28/29

www.ancara.embaixadaportugal.mne.pt

Embaixada da Turquia em Lisboa

Morada: Av. Das Descobertas, 22 1400-092 - Lisboa

Telefone (Geral): (00 351) 213 003 110

Telefone (Secção Consular): (00 351) 213 003 122

www.lisbon.emb.mfa.gov.tr/   

Partilhar:
FacebookTwitterGoogle +E-mail