Última actualização:  2018-12-21
 

Nota importante
 
As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações e conselhos, e são susceptíveis de alteração a qualquer momento. Nem o Estado Português, nem as representações diplomáticas e consulares, poderão ser responsabilizadas pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí advenientes.
 
Aviso
 
1. Realizar-se-ão eleições presidenciais na República Democrática do Congo no dia 30 de dezembro. Na expectativa de que possam decorrer com normalidade, sem que se registem incidentes que ponham em causa a segurança da população, recomenda-se à comunidade residente no país ou que se encontre de passagem que permanença no interior das suas residências/hotéis durante todo o dia das eleições e, caso se venham a verificar situações de disrupção da ordem, igualmente nos dias seguintes. Para tal, recomenda-se que procurem assegurar, com a devida antecedência, o abastecimento de mantimentos básicos e medicamentos que permitam a subsistência por vários dias. As exceções a esta regra só se devem verificar caso tal se manifeste essencial, recomendando-se que se evitem grandes ajuntamentos (como por exemplo, manifestações). É igualmente importante que permaneçam contactáveis e consultem com regularidade fontes de informação credíveis, que permitam ter acesso à evolução dos acontecimentos no exterior.

2. Devido ao contexto politico e ao actual estado de segurança, deverá evitar qualquer viagem que não seja necessária à RDC.
Deverá abster-se de viajar na região Leste e Nordeste da RDC, nomeadamente, nas províncias de Maniema, do Kivu do Norte e do Sul, do Tanganinka do Baixo e do Alto Uele, do Ituri e das fronteiras com o Burundi, o Uganda o Ruanda e o Sudão do Sul.
Desde Agosto de 2016, que é perigoso  deslocar-se às províncias do Kasaï, onde além da miséria social dessa região, repetem-se os  conflitos  armados devido a questões de sucessão dos chefes tradicionais que, nestes últimos meses,  causaram centenas de mortes.
 
3. As autoridades da República Democrática do Congo (RDC) comunicaram 27 casos de virus ébola na província do Equador, nomeadamente nas cidades de Bikoro, Ingende e Iboko.

Até à data não foram registados quaisquer casos em Kinshasa.

É recomendado:

Manter-se informado da evolução da doença através dos links:

http://www.who.int/news-room/detail/18-05-2018-statement-on-the-1st-meeting-of-the-ihr-emergency-committee-regarding-the-ebola-outbreak-in-2018

http://www.who.int/en/news-room/fact-sheets/detail/ebola-virus-disease,

respeitar as seguintes regras de higiene :

  • Evitar áreas de concentração populacional (mercados, estádios, etc),
  • Não consumir, nem mexer em carne de caça,
  • Lavrar frequentemente as mãos com sabão ou desinfectante,
  • Evitar contactos directos com secreções de doentes com febre, perturbações intestinais ou hemorragias h exteriorizadas pela boca,
  • Em caso de febre intensa consultar imediatamente um médico.

Presente surto tem origem junto a vias lacustres e  fluviais navegáveis da RDC, na Província do Equador. Risco de propagação por essa via à República do Congo e à República Centro Africana está a ser objecto de medidas preventivas desaconselhando -se contudo qualquer contacto com zonas de portos fluviais do Rio Congo, de Kinshasa a Kisangani  e bem assim do  rio Ubangui.  


 

Lista de Países