Portal das Comunidades Portuguesas

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Ruanda

 

Última atualização:  2015-02-15
 
 
Nota importante
 
As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações e conselhos, e são suscetíveis de alteração a qualquer momento. Nem o Estado Português, nem as representações diplomáticas e consulares, poderão ser responsabilizadas pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí advenientes.
 
 

 Informação Geral

 
Clima
 
Clima equatorial temperado pela altitude (Kigali situa-se a 1500m). Fortes precipitações durante as estações da chuva (Setembro a Dezembro e Março a Maio).
 
Língua
 
Kinyarwanda, inglês e francês.
 
Moeda local / sistema bancário
 
A moeda local é Franco ruandês. 
 
 

Regime de entrada e estada

 
Regime de vistos
 
É exigido passaporte com pelo menos 6 meses de validade e visto de entrada. Desde 1 de janeiro de 2014 entrou em vigor o Visto Turístico para o Leste de África (EAVT), abrangendo o Quénia, o Ruanda e o Uganda.
 
O EAVT é um visto válido por 90 dias e com múltiplas entradas, com um custo de 100 dólares americanos, e permite a livre circulação entre os três países. O titular do visto deve entrar pelo país que o emitiu e, de seguida, poderá viajar para os restantes. O visto não é de trabalho e não pode ser prorrogado.
 
Os vistos para o Quénia, o Ruanda e o Uganda podem ser requeridos nas representações diplomáticas daqueles países.
 
Poder-lhe-á ser solicitado um certificado de vacinação contra a febre-amarela, em particular se estiver a viajar desde outro país africano.
   
 

Condições de segurança

 
Deficientes.
 
Não são aconselhadas quaisquer viagens às zonas rurais que fazem fronteira com o Burundi e a República Democrática do Congo, devido ao risco de ataques indiscriminados de grupos rebeldes que operam fora do território do Ruanda.
 
O Ruanda teve eleições presidenciais em Agosto de 2010, tendo-se assistido a uma sucessão de acontecimentos que evidenciam sinais de alguma tensão política, incluindo assassinatos, ataques de granada e encerramento de meios de comunicação social. É aconselhável evitar locais onde se estejam a realizar manifestações políticas ou onde haja grandes aglomerados de pessoas.
 
Os níveis de criminalidade são relativamente baixos, mas ainda assim os viajantes devem permanecer sempre alerta e seguir os conselhos de segurança providenciados pelos hotéis.
 
Apesar da rede viária ser superior a outros países da região, é aconselhável viajar preferencialmente durante o dia ou com excursões organizadas. As visitas a pé a gorilas ou para escalar vulcões nos parques nacionais estão bem organizadas e são seguras, sendo obrigatório seguir sempre os conselhos dos guias.
 
Procure respeitar os costumes e cultura locais e evite fotografar edifícios públicos e pessoas sem autorização prévia. A posse e consumo de drogas proibidas são sancionados com forte pena de prisão. Por razões ambientais, os sacos de plástico estão proibidos e podem ser confiscados à entrada no país. 
 
 

Transportes

 
Transporte aéreo
 
O aeroporto de Kigali é servido por várias companhias aéreas internacionais.
 
Transporte ferroviário
 
O Ruanda tem várias estradas em bom estado de conservação e outras em muito mau estado, tornando-se por vezes intransitáveis durante a estação das chuvas. Recomenda-se a utilização de viaturas “todo o terreno”. O abastecimento de combustíveis é assegurado nas principais cidades. Não é aconselhável a condução durante a noite.
 
Se o destino são os parques naturais, deverá informar-se das condições de visita junto das agências especializadas, dado que alguns encerram temporariamente ou alteram os horários de abertura e outros exigem marcação prévia. 
 
 

Cuidados de saúde

 
É aconselhável fazer uma consulta ao viajante no Centro de Saúde da área de residência antes de viajar e garantir que tem todas as vacinas recomendadas.
 
A profilaxia de prevenção contra a malária é aconselhável. O mosquito responsável pela malária é mais activo a partir do entardecer, sendo importante a utilização de repelente e de rede mosquiteira. O viajante deve evitar a ingestão de saladas e de água não fervida ou não engarrafada. Deve também evitar tomar banho em rios ou lagos de água doce, devido a doenças, parasitas e animais selvagens.
 
Seguros: é muito recomendável fazer antes da partida um seguro global que cubra qualquer eventualidade (doença, acidente, roubo, evacuação aérea, despesas hospitalares, repatriamento). 
 
 

Informações úteis

 
Não existe representação diplomática portuguesa no Ruanda, sendo os assuntos deste país acompanhados pela Embaixada de Portugal em Kinshasa, RD Congo.
 
Para efeitos de protecção consular local poderá contactar qualquer Embaixada de países da União Europeia, que por sua vez entrará em contacto com a Embaixada de Portugal em Kinshasa. Portugal é representado, para efeitos Schengen, pela Embaixada da Bélgica (Rue de Nyarugenge, Kigali; telefone: +250 252 575551).
 
Embaixada de Portugal em Kinshasa, RD Congo:
- Endereço: Av. des Aviateurs, 270, Gombe, Kinshasa;
- Telefone geral: (00) 243 815161278;
- Correio eletrónico: ambassadeportugal@vodanet.cd
 
Representações estrangeiras (diplomáticas e consulares) em Portugal - http://www.mne.gov.pt/mne/pt/ministerio/CorpoDiplomatico/
 
Partilhar:
FacebookTwitterGoogle +E-mail