Última atualização:  2019-01-17

Nota importante


As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações e conselhos, e são suscetíveis de alteração a qualquer momento. Nem o Estado Português, nem as representações diplomáticas e consulares, poderão ser responsabilizadas pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí resultantes.

Os viajantes devem registar as suas deslocações junto do Gabinete de Emergência Consular (gec@mne.pt). Para eventual necessidade de esclarecimento, ou apoio suplementares podem igualmente ser contactados a Embaixada de Portugal em Nairobi (luisa.fragoso@mne.pt) e o Consulado Geral de Portugal em Maputo (frederico.silva@mne.pt, margarida.cordeiro@mne.pt e daniela.ferreira@mne.pt).

A ocorrência de ataques com explosivos em Nairobi, em 2013, repetido, na Universidade de Garissa, em 2015, levaram o Governo a estabelecer medidas de segurança que persistem até hoje. Em 15 de janeiro de 2019, registou-se um novo atentado terrorista na capital, Nairobi, depois de um período de vários anos em que as ações terroristas se vinham caraterizando pelo uso de minas terrestres de fronteira com a Somália. O atentado de 2019 centrado no hotel Dusit D2 e no complexo de escritórios adjacente, localizado na área de Westlands, foi controlado pelas autoridades policiais, restaurando-se no dia seguinte, a segurança. No resto do país ocorrem incidentes pontuais de criminalidade comum. Por estas razões, devem observar-se as habituais recomendações de segurança.

A proximidade de áreas de instabilidade regionais, e particularmente a participação do Quénia nas operações em curso na Somália de combate a grupos terroristas; a capacidade de atrair um elevado número de turistas e o facto de a cidade de Nairobi ser a sede do escritório africano das Nações Unidas e a capital económica regional, torna o Quénia um alvo de grupos radicais, (como ocorreu, em 2013, com o ataque a um centro comercial em Nairobi pelo grupo somali Al-Shabaab; em 2015, à Universidade de Garissa; e, de novo, no passado dia 15 de janeiro de 2019, um hotel da capital), pelo que persiste o risco de ocorrerem ataques terroristas. Os alvos desses eventuais atentados poderão ser hotéis, bares e discotecas, centros comerciais, edifícios e transportes públicos, pelo que se reitera a necessidade da prudência nas deslocações no país, mantendo uma vigilância permanente e dando prioridade à segurança pessoal.

Aconselha-se a precaução nas viagens por estrada a Mombaça e a outras partes do país, atendendo ao elevado índice de sinistralidade automóvel e a eventuais assaltos. Deve-se evitar a circulação durante a noite.

Desaconselham-se viagens às áreas próximas da fronteira com a Somália.

  Aviso  

1. Aviso
Recomenda-se que, antes de viajar, informe o Consulado Geral de Portugal em Maputo (consulado.maputo@mne.pt) ou a Embaixada em Nairobi (luisa.fragoso@mne.pt) indicando as datas de chegada e partida e os locais de alojamento. No caso de ser vítima de qualquer incidente de segurança, contacte o Consulado Geral ou a Embaixada.

Lista de Países