Portal das Comunidades Portuguesas

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Perú

 
Última atualização: 2016-03-23
 
Nota importante
 
As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações e conselhos, e são suscetíveis de alteração a qualquer momento. Nem o Estado Português, nem as representações diplomáticas e consulares, poderão ser responsabilizadas pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí advenientes.
 
Aviso
 
1. As Autoridades do Peru emitiram uma declaração de emergência sanitária em virtude do surto de dengue e febre Chikungunya que está afetar o norte do país, zona de grande afluência turística. Desaconselham-se, por isso, as deslocações não essenciais às Províncias de Piura, Sullana, Talara, Paita, Sechura, Morropón, Huancabamba e Ayabaca (na região de Piura) e às Províncias de Tumbes, Zarumilla e Contralmirante Villar (região de Tumbes) até que seja levantada a emergência sanitária.
 
2. Em consequência da presença de elementos da organização terrorista Sendero Luminoso, na maior parte das vezes associados ao narcotráfico, desaconselham-se deslocações nos vales dos rios Ene e Apurimac, na Serra Central e no vale do rio Huallega, no vale do rio Putumayo junto à fronteira com a Colômbia e na Serra Norte, ns seguintes áreas:
- Distrito de Cholon, da Província de Marañon, do departamento de Huánaco;
- Distrito de Monzon, da província de Humalies, do departamento de Huánuco;
- Toda a provincia de Leoncio Prado, do departamento de Huánaco;
- Toda a província de Tocache, do departamento de San Martin;
- Toda a província de Padre Abad, do departamento de Ucayali.
 
3. Um pouco por todo o Peru podem ocorrer situações de conflitualidade social, como manifestações, paralisações, bloqueios de estrada e greves, que por vezes degeneram em episódios violentos. As regiões mais afetadas nos últimos anos por este tipo de ocorrências são as áreas mineiras da cordilheira andina e a zona fronteiriça com a Bolívia. Dado o caráter imprevisto dos movimentos sociais e de quais as áreas que podem ser afetadas, recomenda-se aos viajantes que procurem manter-se informados sobre as condições de segurança.
 

Informação Geral

 
Clima
 
No período que vai de Outubro a Abril existe sempre possibilidade de ocorrerem grandes intempéries, particularmente nas zonas montanhosas que provocam chuvas torrenciais, inundações e debilitação nas encostas das montanhas, criando perigo de grandes derrocadas de pedras e deslizamento de terras (conhecidas como "huaicos").
 
Selva: quente e húmido e chuvas tropicais; serra: frio e seco;zona costeira: húmido e temperado.
 
Língua
 
A língua oficial é o Castelhano.
 
Moeda local / sistema bancário
 
Moeda local: Novo sol. O dólar dos EUA é também usado de forma corrente.
 
Utilização generalizada dos cartões de crédito nas principais cidades e áreas turísticas, nomeadamente em hotéis, restaurantes e comércio.
 
  

Regime de entrada e estada

 
Os cidadãos portugueses não necessitam de visto não necessitam de visto para entrada na República do Perú, para estadas de curta duração (até 90 dias em períodos de 180 dias), a partir de 15 de março de 2016.”
 
 

Condições de segurança

 
A criminalidade comum (roubo, furtos) é elevada nos locais mais frequentados por turistas como os núcleos históricos de Lima, Cusco, Trujillo e Arequipa, em Machu Pichu e noutros centros arqueológicos.
 
Aconselham-se os nacionais a evitarem o recurso a guias informais em zonas turísticas, contratando somente guias oficiais. É recomendável vigiar e assegurar bolsas, mochilas, câmaras e outros pertences pessoais.
 
Recomenda-se precaução no uso, evitando a exibição em público, de dinheiro, cartões de crédito, objetos de valor, bem como de passaportes, documentos de identificação ou passagens aéreas.
 
Não é aconselhável viajar sozinho, sendo também de evitar viagens rodoviárias durante a noite. Recomenda-se que longas deslocações ao interior do país sejam feitas via aérea e não em autocarro ou automóvel.
 
O Peru está situado numa região de risco sísmico elevado. Os tremores de terra são frequentes em todo o País, especialmente ao longo da costa e da cordilheira andina.
 
Outras informações importantes
 
Números de telefone de emergência:
 
- Polícia: 105;
- Bombeiros: 116;
- Defesa civil: 115 (Cruz Vermelha). 
 
 

Transportes

 
A possibilidade de ocorrerem manifestações e greves pode criar o caos nas estradas e aeroportos.
 
Transporte aéreo
 
Transporte aéreo de boa qualidade para todas as regiões do país. O sobrevoo das linhas de Nazca em aeronaves ligeiras tem suscitado questões relacionadas com a segurança e a manutenção desses aviões, devido a diversos incidentes que se têm registado. Entre 2008 e 2010 houve mesmo acidentes envolvendo vítimas mortais.
 
Transporte rodoviário
 
Infraestruturas e transportes rodoviários de qualidade aceitável na região costeira. A rede rodoviária é mais precária na serra e quase inexistente na selva.
 
Atenção à elevada percentagem de táxis informais em todas as cidades.
 
Segurança rodoviária
 
A sinistralidade é elevada devido quer a um parque automóvel muitas vezes envelhecido e degradado, quer, sobretudo, a hábitos de condução que não respeitam os padrões comuns de segurança.
 
Limites de velocidade
 
O limite de velocidade no Peru varia entre 30 e 60 km7h nas localidades e entre 60 e 100 km/h nas estradas.
 
Transporte ferroviário
 
Rede ferroviária escassa, com infraestrutura e equipamento antigos que, em geral, não permitem condições mínimas de conforto. As exceções são as linhas Cusco – Águas Calientes (perto de Machu Pichu) e Cusco – Puno, frequentadas essencialmente por turistas, que têm condições de conforto aceitáveis.
 
Transporte marítimo
 
O transporte por via fluvial é frequente na selva (muitas vezes é o único meio possível). As embarcações destinadas ao transporte de turistas reúnem, em geral, condições adequadas. 
 
 

Alojamento

Em Lima a oferta hoteleira é abundante e muito diversificada. Noutras grandes cidades (ex: Arequipa, Trujillo) e em áreas turísticas (ex: Cusco, Águas Calientes) a oferta, embora mais limitada, permite um leque de escolha. Fora das áreas referidas a oferta poderá ser escassa e de baixa qualidade, pelo que se recomenda aos viajantes que se informem previamente sobre as condições de alojamento.

 

Cuidados de saúde

 
Alerta-se para a possibilidade de contrair dengue (aedes aegypt) através de picada de mosquito. Os sintomas são febre muito alta, dores de cabeça, dores nos olhos, dores musculares e articulares e erupções cutâneas. Pode também ser acompanhado de dores abdominais e pequenas hemorragias. Os casos mais graves podem causar risco de morte. As áreas mais atingidas são a selva amazónica e regiões irrigadas da costa. A prevenção, não completamente eficaz, consiste no uso de repelentes, mangas compridas, calças, chapéu, meias, sapatos fechados e, sempre que possível, dormir sob uma rede mosquiteira.
 
A rede sanitária é boa na capital e razoável no resto do país. A água deve, no entanto, ser fervida. O tratamento médico poderá ser caro e não estar disponível em todas as regiões do país. Em Lima existem boas clínicas e hospitais privados. O sistema público de saúde apresenta carências.
 
Sendo a hepatite, a disenteria e o dengue endémicos, não é aconselhável a ingestão de água corrente ou de legumes ou frutas por desinfetar.
 
São recomendáveis as vacinas contra a hepatite, a febre tifoide, o tétano e a pólio. É também recomendável a proteção contra as queimaduras dos raios solares, que são muito fortes em virtude da proximidade do equador.
 
Os cuidados a observar variam ainda de acordo com as três regiões naturais em que se divide o Peru: Na selva é recomendável a vacina contra a febre amarela e a proteção contra a malária - uso de repelentes, vestir roupas de mangas compridas, especialmente ao amanhecer e anoitecer. Poder-se-á fazer a profilaxia contra a malária.
 
Na serra, a altitudes superiores a 3000 metros de altitude, como por exemplo em Cusco, pode ocorrer nos primeiros dias o soroche, ou "mal da altura", caracterizado por dificuldade em respirar, cansaço e dores de cabeça. As pessoas com problemas cardíacos deverão consultar o seu médico antes de viajar para estas zonas.
 
É aconselhar o descanso e a ingerência moderada de sólidos e líquidos, nas primeiras horas após a chegada, para permitir a adaptação e evitar o mal-estar.
 
Na Costa não existe recomendação em particular, com exceção do uso de proteção solar adequada.
 
O tratamento médico poderá ser caro e não estar disponível em todas as regiões do país. Em Lima existem boas clínicas e hospitais privados. O sistema público de saúde apresenta carências. É pois aconselhável a subscrição de uma apólice de seguro de viagem e de saúde com cobertura neste país.
 
Para obtenção de informações adicionais relacionadas com a saúde neste país, os cidadãos nacionais poderão contactar este Ministério da Saúde através do número de telefone 0800 10828 ou consultar página do Ministério da Saúde no seguinte endereço eletrónicowww.minsa.gob.pe
 
Endereços dos principais hospitais e clínicas
 
- Hospital de Emergências Casimiro Ulloa: Av. Roosevelt, 6355, Miraflores, Lima – Tel. (00511) 2040900;
- Hospital Loyaza: Av. Alfonso Ugarte, 848, Cercado de Lima – Tel. (00511) 6144646;
- Clínica Anglo Americana: Alfredo Salazar 350, San isidro, Lima – Tel. (00511) 6168900 / 2;
- Clínica Ricardo Palma: Av. Javier Prado Este, 1066, San Isidro, Lima – Tel. (00511) 2242224 / 6;
- Clínica San Felipe: Av. Gregorio Escobar, 650, Jesus Maria, Lima – tel. (00511) 2190000. 
 
 

Telecomunicações

 
As redes fixa e móvel funcionam relativamente bem. 
 
 

Informações úteis

 
Endereços das representações consulares portuguesas no estrangeiro:http://www.min-nestrangeiros.pt/mne/missoes/
 
 
Partilhar:
FacebookTwitterGoogle +E-mail