Última actualização: 2020-01-08

Nota importante

As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações e conselhos, e são susceptíveis de alteração a qualquer momento. Nem o Estado Português, nem as representações diplomáticas e consulares, poderão ser responsabilizadas pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí advenientes.

 

Avisos

Situação na região do Golfo (2020-01-08)

Face aos recentes acontecimentos no Iraque, a situação de segurança em toda a região do Golfo pode sofrer alterações a qualquer momento, pelo que o Ministério dos Negócios Estrangeiros recomenda cautela em todas as viagens e deslocações.

Mantenha-se atualizado acerca das notícias divulgadas nos meios de comunicação social, bem como no presente portal, e faça previamente o registo da sua viagem através da aplicação Registo Viajante. Recomenda-se igualmente que evite sempre lugares de demonstrações públicas ou aglomerações, caso ocorram, e que sejam seguidas as instruções das autoridades locais.

Aos residentes, recomenda-se que, caso não o tenham ainda feito, procedam à sua inscrição consular ou à respetiva atualização junto do posto com jurisdição sobre a área de residência. Para mais informações, consulte o portal da Embaixada de Portugal em Teerão.

 

17.11.2019. Intensos protestos nas principais cidades do Irão desde dia 16.11.2019 têm levado a confrontos esporádicos entre manifestantes e forças de segurança. Conexões Internet foram temporariamente cortadas em todo o país. Apela-se aos viajantes que se encontrem no Irão que redobrem as suas precauções no cumprimento das indicações abaixo, e que se afastem das zonas onde estejam a decorrer manifestações. Reitera-se que sob nenhum pretexto se devem captar imagens ou sons de manifestações, de forças de segurança ou dos seus edifícios ou viaturas.

25.06.2019. Atendendo aos recentes desenvolvimentos no Golfo Pérsico, são desaconselhadas deslocações àquela região, nomeadamente às Províncias iranianas de Hormozgan e Bushehr, mantendo-se vigentes as indicações relativas a outras áreas naquele País. Aconselha-se ainda aos viajantes que evitem circular por zonas onde se situem bases militares.

 

1. Deve evitar-se qualquer área ou zona onde possam decorrer manifestações, haja ajuntamentos de pessoas em protesto ou forte presença policial. Caso se veja inadvertidamente em tais locais, deve afastar-se imediatamente ou, na impossibilidade de o fazer, procurar refúgio em local fechado. Sob nenhum pretexto se devem captar imagens ou sons de manifestações, de forças de segurança ou dos seus edifícios ou viaturas.

2. Câmbios de divisas - euros ou dólares por reais iranianos – podem efectuar-se em bancos ou estabelecimentos de câmbio certificados para o efeito, dispersos por diversos pontos da cidade. A actividade de câmbio deve encontrar-se explicitamente anunciada, pelo respectivo estabelecimento, com aviso visível a partir da rua onde se encontra localizado.

3. Desaconselham-se vivamente quaisquer deslocações às seguintes áreas:
- qualquer local situado a menos de 100 km da fronteira com o Afeganistão;
- qualquer local situado a menos de 50 km da fronteira com o Iraque, evitando em particular as províncias do Curdistão e Khuzestan;
- a leste da linha que une Bandar Abbas e Kerman, incluindo a província do Sistão Baluchistão (a sudeste do Irão), área particularmente vulnerável a actividades terroristas da Jundullah (grupo terrorista separatista Baluchi);
- qualquer área fronteiriça, porquanto são consideradas, pelas autoridades iranianas, particularmente sensíveis.


4. Os viajantes solitários correm inevitavelmente mais riscos que turistas em grupo (sobretudo quando se deslocam isoladamente por estrada).


5. É expressamente proibido fotografar ou filmar edifícios governamentais e/ou militares (e áreas circundantes). Tais edifícios nem sempre estão claramente identificados, pelo que se aconselham as maiores cautelas. A utilização de drones para captação de imagens é fortemente desaconselhada em qualquer circunstância.


6. Em caso de detenção de um nacional em território iraniano, a margem de intervenção da Embaixada portuguesa poderá ser limitada.


7. Os profissionais de imprensa deverão munir-se de um visto especifico caso porventura tencionem deslocar-se ao Irão com objectivos profissionais.


8. Deverão ser rigorosamente observadas as imposições legais em vigor, tradições locais e costumes religiosos bem como imposições em vigor em termos de traje.


9. O risco sísmico no Irão é elevado.

 

  • Partilhe