Última actualização: 2018-09-15
 
Nota importante
 

As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações e conselhos, e são susceptíveis de alteração a qualquer momento. Nem o Estado Português, nem as representações diplomáticas e consulares, poderão ser responsabilizadas pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí advenientes.

Avisos

14 de Setembro de 2018

 A Ilha de Lombok, atingida por vários abalos sísmicos em Agosto último, entrou na fase de recuperação e reconstrução que durará até finais de Fevereiro de 2019. Objetivo das autoridades da ilha é o de reabilitar e reconstruir os edifícios públicos, habitações, hospitais, escolas, fábricas e mercados, bastante danificados pela intensa atividade sísmica ali registada, e proceder à reativação progressiva das atividades económicas.

Os esforços de recuperação estender-se-ão ao Parque Nacional do Monte Rinjani, igualmente atingido por deslizamentos e fissuras no terreno que afetaram seriamente os ecossistemas e as pistas para caminhadas. Por não constituir, nesta fase, um local seguro para visitantes, os responsáveis do Parque decidiram encerrá-lo por um período indefinido.

Renovam-se os conselhos anteriores no sentido de contactar a sua agência de viagens ou operador de turismo antes de viajar para a zona, inteirando-se bem das condições que se verificam localmente, sendo muito aconselhável que seja portador de seguro de viagem adequado.

Recomenda-se a máxima prudência e ponderação quanto a viagens consideradas como não essenciais que tenham como destino as ilhas de Lombok e Gili.

Qualquer viagem planeada para a região deve ter em consideração os constrangimentos inerentes ao ocorrido numa zona de habitual actividade sísmica.

O Gabinete de Emergência Consular (GEC) – gec@mne.pt / tel.: 00351 96 170 6472 - acompanha o assunto

 

Outros avisos

Na sequência dos ataques à bomba ocorridos em Surabaya, em 14 de maio de 2018, as Autoridades Indonésias acabam de elevar o risco de ameaça terrorista para o nível máxomo (SIAGA I). Deste modo, os cidadãos portugueses residentes e viajantes são encorajados a exercerem a máxima prudência e a permanecerem vigilantes, especialmente em locais públicos (templos ou locais de culto, como igrejas) evitando, na medida do possível, grandes aglomerações de pessoas, especialmente em Bali, Surabaya e Jacarta. Preste muita atenção à sua segurança pessoal em todos os momentos. Monitore a comunicação pessoal para obter as informações mais recentes sobre riscos de segurança.

É também aconselhado que assumam um perfil baixo, respeitando os costumes religiosos locais (designadamente durante o Ramadão) e que sigam as orientações das forças de segurança.

Existem indícios credíveis de que os terroristas podem estar a planear novos ataques que podem ocorrer em qualquer lugar, a qualquer momento.

Existe ainda a possibilidade de  manifestações junto das instalações diplomáticas do governo dos Estados Unidos da América em toda a Indonésia, em protesto contra a mudança da Embaixada dos  EUA para Jerusalém.
Para sua segurança, evite aproximar-se de manifestações, comícios ou ações de protesto, que podem tornar-se violentos sem aviso prévio.

O vulcão do Monte Agung, em Bali, está ativo desde setembro de 2017. A atividade vulcânica pode intensificar-se sem aviso prévio. Os torrões de cinzas do vulcão podem afetar vôos e ligações aéreas, assim como as operações do aeroporto de Denpasar em Bali. Reitera-se o apelo a todos os que viajem para Bali para que continuem a observar as regras de segurança em vigor naquela região e sigam as orientações das Autoridades indonésias.

O vulcão do Monte Merapi em Yogyakarta também se encontra em actividade intermitente de emissão de cinzas tóxicas.

Entre em contato diretamente com sua companhia aérea ou operadora de turismo para obter informações atualizadas.

Seja consciente da sua segurança pessoal e esteja ciente dos riscos, particularmente em locais turísticos como Bali e Lombok, relacionados com crimes como furto de carteiras e bolsas praticados por motociclistas por esticão, em particular quando caminha na berma da estrada; possibilidade de agressão sexual em locais nocturnos e sítios mal frequentados;  risco de consumo de álcool contaminado com substâncias nocivas, como o metanol; fraudes e utilização indevida de cartões de crédito.

Considere cuidadosamente os riscos associados à utilização de motocicletas (a circulação é intensa e confusa), incluindo problemas de carta de condução internacional  e de seguro do veículo motorizado

Têm-se registado casos de malária, dengue e outras doenças similares entre turistas e expatriados residentes, pelo que se recomenda ter as vacinas em dia. É muito importante adotar medidas de protecção contra mosquitos, como o uso de repelente e beber apenas água engarrafada e nunca da torneira.

Posse ou tráfico de droga estão sujeitos a penas duríssimas, incluindo pena de morte. Convém sublinhar que se tem verificado um endurecimento das medidas contra o consumo de drogas e uma acentuada severidade dos tribunais indonésios neste domínio. Mesmo a posse de pequenas quantidades de drogas consideradas leves poderá resultar em penas de prisão superiores a cinco anos. Para quantidades maiores pode ser aplicada a pena de morte. O combate à droga é aliás assumido como uma das prioridades do Presidente da Indonésia, não havendo qualquer regime de exceção para estrangeiros que infrinjam a lei.

Têm sido registados casos de morte de indonésios e turistas por envenenamento pelo consumo de bebidas alcoólicas artesanais (adulteradas com metanol), sobretudo em Bali, Manado (Celebes) e Lombok.

Em Bali, para além dos habituais casos de furtos não violentos (que resultavam na privação de dinheiro e passaportes de turistas - o que aconteceu a vários cidadãos portugueses) têm-se registado nos últimos meses casos de roubos violentos a turistas, sobretudo em motas, resultando em alguns casos em ferimentos graves e mesmo morte, assim como assaltos a quartos em residênciais de gama baixa.

Sendo a Indonésia um país extremamente popular entre turistas portugueses para prática de surf  recomenda-se atenção às correntes e condições do mar, sobretudo em áreas mais remotas. Têm-se registado alguns casos de acidentes, inclusive mortais, devido à prática do surf. Ainda que um seguro de saúde seja essencial, devido ao facto de as melhores ondas se encontrarem em zonas muito remotas da Indonésia, nem sempre este consegue responder em tempo útil.

Várias zonas da Indonésia são propensas a desastres naturais devido à sua situação geográfica e topográfica, pelo que são frequentes terramotos. Em 2011 registaram-se mais de 250 terramotos intensidade 5 na escala de Ritcher. Há ainda que considerar possibilidade tsunami (mais recente ocorreu em Outubro 2010 nas ilhas Mentawai, Sumatra, que provocou morte de 450 locais) e ainda ocasionais cheias durante a estação das chuvas (em particular em Jacarta). Embora não tenham ocorrido grandes erupções vulcânicas recentes, as ilhas de Sumatra e Java, bem como outras áreas da Indonésia, apresentam risco vulcânico dada a natureza do seu território. Desaconselham-se, portanto, viagens a zonas onde tenha havido actividade recente vulcânica recente, ainda que de menor dimensão, pois esta pode ser o prenúncio de ocorrência mais grave. 

A lei muçulmana Sharia é implementada apenas oficialmente na província de Aceh, Norte de Sumatra. Mesmo se não frequente, as autoridades sharia não se inibem de confrontar não muçulmanos sobre violações à sua lei, pelo que se recomenda respeito pelas tradições locais e vestuário discreto, em particular para mulheres.

Há regiões da Indonésia que são mais “desaconselhadas”, em particular a região de Papua, onde se tem registado conflitos comunitários de baixa intensidade, pelo que se recomenda evitar situações envolvendo membros de tribos armados e/ou demonstrações. Registaram-se algumas fatalidades entre forças governamentais, trabalhadores locais e mesmo expatriados, nos últimos anos.


                     

Lista de Países