Portal das Comunidades Portuguesas

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Guiné Bissau

 

 

Última atualização:  2016-07-01
 
 
Nota importante
 
As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações e conselhos, e são susceptíveis de alteração a qualquer momento. Nem o Estado Português, nem as representações diplomáticas e consulares, poderão ser responsabilizadas pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí advenientes.
  
Aviso
 
Chama-se a atenção para o facto das autoridades sanitárias da Guiné Bissau terem aumentado [recentemente] o nível de alerta da vigilância nas fronteiras na sequência do surgimento de novos casos do vírus do ébola, na vizinha República da Guiné-Conacri.
 
 

Informação Geral

A Guiné-Bissau tem uma superfície de 36120 km2 e cerca de 1 700 000 habitantes de composição multi-étnica.

 
A capital é a cidade de Bissau (cerca de 450000 habitantes). As outras cidades importantes são Bafatá, Gabú, Mansoa, Cacheu, Bolama, Bubaque, Canchungo e São Domingos.
 
O território é essencialmente plano, pantanoso na orla marítima e atravessado por vários rios e cursos de água, com vegetação exuberante e de tipo tropical. A altitude máxima é de cerca de 300 m (colinas do Boé) junto à fronteira leste com a Guiné-Conakry.
 
A Guiné-Bissau tem fronteira com a Guiné-Conakry e o Senegal. A primeira, por via terrestre está momentaneamente encerrada, no quadro das medidas tomadas pelo governo para prevenir a entrada da epidemia da Ébola no país.
  
Clima
 
O clima é quente e húmido com duas estações distintas. A estação das chuvas estende-se de meados de maio a meados de novembro, com maior pluviosidade em julho e agosto. A estação seca corresponde aos restantes meses do ano. Os meses de dezembro e janeiro são os mais frescos. No entanto, as temperaturas são muito elevadas durante todo o ano: mínimas médias entre 20º (janeiro) e 26º C (outubro) e máximas médias entre 30º e 32º C.
 
Língua
 
A língua oficial é o português, falando-se também o crioulo e línguas das diferentes etnias.
 
Moeda local / sistema bancário
 
A moeda local é o franco CFA, com câmbio fixo relativamente ao euro (1 euro = 655,957 francos CFA). Existem apenas duas caixas ATM com sistema Visa em Bissau e o seu funcionamento é incerto. Não existe rede de pagamentos multibanco. As despesas são pagas em dinheiro, pois não existem sistemas de pagamento com cartão de crédito ou multibanco.
 
É possível trocar dinheiro junto dos bancos ou no sistema informal. O euro é geralmente a moeda mais apreciada. São muito utilizados serviços como o “Western Union” para a obtenção de liquidez, muitas vezes a melhores preços que os bancos comerciais.
 
Existem apenas quatro bancos comerciais em funcionamento: o Banco da África Ocidental (BAO), o Banco da União (BDS), o BRS e o Ecobank com agências apenas em Bissau e nos principais centros urbanos. O BAO é o único que disponibiliza ligação à rede Visa e permite levantamentos ao balcão com cartão de crédito. 

Regime de entrada e estada

 
Regime de vistos
 
É exigido visto, o qual deverá ser obtido nas Embaixadas da Guiné-Bissau, designadamente em Lisboa.
 
O visto poderá ainda ser obtido nas fronteiras terrestres ou no Consulado da Guiné-Bissau em Ziguinchor, mas recomenda-se que o pedido de visto seja efetuado antecipadamente. 

Condições de segurança

 
As condições de segurança são frágeis. O Governo foi demitido na noite do passado dia 12 de agosto. Os índices de criminalidade continuam altos, pelo que deverão ser redobrados os cuidados habituais.
 
Recomenda-se sempre, antes de qualquer deslocação, a consulta de eventuais recomendações emitidas pela Embaixada de Portugal (www.consulado-pt-gb.org) e os Conselhos aos Viajantes no Portal das Comunidades Portuguesas (www.secomunidades.pt ). Os portugueses cuja estadia se prolongue na Guiné-Bissau devem imperetrivelmente proceder à sua inscrição na secção consular da Embaixada de Portugal em Bissau.
 
Em Bissau, um especial cuidado deverá ser adotado em caso de deslocação ao mercado do Bandim, ou durante a noite devido à inexistência de um sistema de iluminação pública regular.
 
Fora da cidade de Bissau, os índices de criminalidade registados são menores, embora se recomende prudência, até porque, em caso de avaria de veículos, é difícil obter assistência, correndo-se riscos ao pernoitar em isolamento.
 
Aconselha-se a evitar tirar fotografias a edifícios oficiais sem autorização prévia.
 
Em qualquer caso desaconselha-se a ostentação de riqueza em todas as partes do território da Guiné-Bissau, em especial na própria cidade de Bissau.
 
Números de emergência
 
- Serviço Nacional de Proteção Civil e Bombeiros: 6003993;
- Piquete da Polícia Judiciária: 5764976;
- Guarda Nacional: 5651193. 

Transportes

 
Transporte aéreo
 
A EuroAtlantic efectua um voo semanal às sextas feiras entre Lisboa/Bissau/Lisboa. A Air Senegal opera diariamente para o Senegal (Dakar), com possibilidade de continuação para Lisboa via TAP. A Royal Air Maroc efetua cinco voos semanais de Bissau para Casablanca (via Banjul ou Praia), com possibilidade de correspondência para Lisboa e diversos outros destinos.
 
Transporte rodoviário
 
Os transportes públicos são inexistentes na Guiné-Bissau. São utilizados os táxis coletivos ou individuais.
 
Embora se estejam a degradar por falta de renovação, as estradas principais do país são alcatroadas e ainda de qualidade razoável, nomeadamente os eixos Bissau – São Domingos (fronteira com o Senegal), Bissau – Cacheu, Bissau – Gabú (fronteira para a Guiné “Conacri”) e Bissau – Quebo.
 
Durante os meses de chuva e especialmente de finais de junho a outubro, grande parte das estradas não alcatroadas tornam-se impraticáveis, com sérios riscos de atolamento.
 
A carta de condução portuguesa pode ser utilizada durante um período de 90 dias, após os quais deverá ser trocada pela carta de condução da Guiné-Bissau.
 
Segurança rodoviária
 
Os principais eixos rodoviários atravessam centros populacionais, pelo que se recomenda muita moderação na velocidade, pois existem sempre pessoas e animais domésticos a circular junto às estradas.
 
 
Transporte marítimo
 
Dois barcos públicos efetuam ligações à ilha de Bubaque e à ilha de Bolama. Informações no porto de Bissau.
  
 

Cuidados de saúde

 Para quem pretenda, a partir da Guiné-Bissau, viajar na região, deve ter em atenção que alguns dos países vizinhos, nomeadamente um dos que faz fronteira, a Guiné-Conacri, tem sido especialmente atingidos pela epidemia de ébola.
 
Apenas se deve consumir água engarrafada (mesmo o gelo) e convém evitar comer alimentos não cozinhados, sobretudo frutas com casca e vegetais mal lavados. O viajante deverá aconselhar-se previamente junto do seu médico numa “consulta ao viajante” sobre a vacinação necessária e os cuidados básicos a manter.
 
O Governo, através de um comunicado do Conselho de Ministros, decidiu incluir o Vírus Zika na lista das doenças contagiosas na Guiné-Bissau e instruiu o Ministério da Saúde e a Secretaria de Estado dos Transportes e Comunicações a adotarem as medidas adequadas para a prevenção da epidemia deste vírus. Assim, em caso de deslocação à Guiné-Bissau recomenda-se o uso frequente de repelentes de insetos.
 

O governo guineense comunicou em julho de 2016 terem sido detetados três casos de vírus Zika no país, tendo as contaminações ocorrida no sul. Assim, alertam-se os viajantes para os cuidados a seguir relativamente a esta doença e muito particularmente mulheres grávidas, que se sugerem evitar esta viagem no periodo da gravidez.

Para mais informações sobre esta doença, recomenda-se consultar o site: https://www.dgs.pt/

Recomendam-se cuidados profiláticos em relação ao paludismo para estadias curtas, bem como o uso de repelente de insectos, roupa fresca, clara e comprida e o uso de rede mosquiteiras.
 
Regista-se uma incidência preocupante de doenças sexualmente transmissíveis, nomeadamente HIV-SIDA. A tuberculose e a hepatite são também doenças comuns. Verifica-se alguma incidência de cólera.
 
Em Bissau, algumas farmácias no centro da cidade estão bem abastecidas, encontrando-se quase todos os medicamentos essenciais (e.g. Farmácia Moçambique ou Farmácia Salvador). No resto do território, as condições são mais precárias, pelo que se recomenda a constituição de um estojo de primeiros socorros e medicamentos essenciais.
 
Os meios de tratamento e hospitalares são muito limitados em Bissau, inclusive nas clínicas privadas. É aconselhável ter um seguro de viagem contratado no país de origem e recomenda-se o regresso a Portugal, para problemas sérios de saúde ou a evacuação para Dakar em caso de extrema urgência. 
 
Principais hospitais e clínicas
 
Hospital Nacional Simão Mendes, Hospital da Cumura, Hospital Militar Principal (Bissau), Clínica de Bôr e Clínica Artemísia.

Telecomunicações

 
Indicativo internacional da Guiné-Bissau: 00 245.
 
Não há rede fixa.  As operadoras móveis têm um funcionamento satisfatório e uma boa cobertura do território. 
 
A Guiné-Bissau não está ligada ao cabo submarino de fibra ótica. A ligação Internet é muito lenta e instável. Não existe conexão 3G. Existem alguns “cyber-cafés” em Bissau e nos centros urbanos, com conexões lentas em Bissau e muito lentas na província.

Informações úteis

 
Representação Diplomática: 
 
Embaixada de Portugal em Bissau
- Endereço: Av. Cidade de Lisboa, CP 276, Bissau;
- Telefones: (00245) 3201279 / 6980000 / 6990000;
- Sítio Internet: www.consulado-pt-gb.org 
 
Endereços das representações consulares portuguesas (postos e secções consulares) no estrangeiro: http://www.portaldascomunidades.mne.pt/
 
Embaixada da Guiné-Bissau em Lisboa
- Endereço: Rua de Alcolena,
Partilhar:
FacebookTwitterGoogle +E-mail