Última actualização: 2019-10-16

 

Nota importante

As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações e conselhos, e são susceptíveis de alteração a qualquer momento. Nem o Estado Português, nem as representações diplomáticas e consulares, poderão ser responsabilizadas pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí advenientes.

 

Aviso

16 de outubro de 2019

O governo filipino emitiu recentemente um alerta de epidemia de Poliomielite no país, na sequência da confirmação de dois casos de infecção e da detecção do vírus em parte da sua rede sanitária.
A Organização Mundial de Saúde considera que o risco de propagação internacional é baixo, mas que o risco de transmissão dentro do território das Filipinas é alto, atendendo aos baixos índices de imunidade da população local.
Recomendam-se, assim, as seguintes precauções:
- para pessoas que se desloquem às Filipinas por períodos iguais ou superiores a quatro semanas, que procurem vacinar-se contra o poliovírus, de preferência, até quatro semanas antes da viagem ou, caso tal se revele impossível, em qualquer momento antes da partida (é recomendável a frequência da consulta do viajante ainda em Portugal);
- antes da partida das Filipinas, deverão certificar-se de que foram cumpridos todos os requisitos de imunização recomendados pelas autoridades locais.

08 de Agosto de 2019

Ministério da Saúde das Filipinas/DoH declarou, a 6 de Agosto,  emergência sanitária em virtude de uma epidemia de dengue que, desde Janeiro passado, já terá provocado 622 mortos..

São sete as regiões mais atingidas por esta epidemia:  Calabarzon;  Mimaropa;  Bicol;  Visayas Ocidental;  Visayas Oriental; Península de Zamboanga; e norte de Mindanao.

Face ao numero de casos já detetados, estão também em alerta  Ilocos; Visayas central; e a Região Autónoma de Bangsamoro (Mindanao).

Recomenda-se, nesta fase, vigilância em relação a este quadro epidémico de dengue.

 

- O Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) desaconselha todas as viagens para a região central, oeste e sul da ilha de Mindanao e também para o arquipélago de Sulu, devido a actividade terrorista e possibilidade de recontros entre o exército e grupos insurgentes.

MNE recomenda aos viajantes que ponderem seriamente a necessidade de realizarem viagens consideradas não essenciais para o resto da ilha de Mindanao e também para o sul da província de Cebu, devido aos riscos de terrorismo e/ou sequestro. A lei marcial em Mindanao vigora até 31/12/2018, com período de recolher obrigatório.

A ilha de Boracay reabriu ao público e aos turistas em geral em 26 de Outubro de 2018, na sequência de encerramento para trabalhos de recondicionamento sanitário e ambiental.Consulte a página do Departamento de Turismo das Filipinas (http://www.tourism.gov.ph/), por forma a inteirar-se dos estabelecimentos hoteleiros autorizados, restrições em vigor e outros requerimentos para aceder à ilha. Veja também o artigo da Agência de Informação Filipina sobre Boracay (http://pia.gov.ph/news/articles/1014226 ).

O estado de emergência nacional devido a violência está em aplicação em todo o país, podendo implicar fiscalização em checkpoints, patrulhas de segurança, e um dispositivo securitário visível em zonas específicas. Os viajantes devem cooperar com as autoridades filipinas: devem ser portadores do passaporte e ter paciência ao transitar por postos de controlo.



 

  • Partilhe