Portal das Comunidades Portuguesas

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Equador

Última actualização: 2017-01-04

 

Nota importante:

As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações e conselhos, e são suscetíveis de alteração a qualquer momento. Nem o Estado Português, nem as representações diplomáticas e consulares, poderão ser responsabilizados pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí advenientes.

Destaques/ Avisos

A situação securitária no Equador não é preocupante, embora se registem vários casos de criminalidade comum, tal como nos demais países da região. É um dos países mais visitados por turistas nesta região. O bom senso indica que não é aconselhável viajar desacompanhado em horas noturnas (sobretudo sendo mulher), sendo que quanto mais remota for a localização, maior é o risco potencial para a segurança dos viajantes. Tem-se registado casos de assaltos à mão armada e roubos nas zonas urbanas de Quito e Guayaquil e também vários roubos (também a turistas) nos autocarros entre localidades. Por uma questão de segurança, recomenda-se utilizar apenas táxis oficiais (amarelos), pedidos através de chamada telefónica ou de aplicações para telemóvel como “easytaxi”.

Recomenda-se evitar viagens não imprescindíveis à região fronteiriça com Colômbia, pois trata-se de uma região sob controlo das Forças Armadas, devido à presença de grupos guerrilheiros, traficantes de droga e grupos criminosos. Em caso de atravessar a fronteira, recomenda-se que o faça apenas pelos locais de passagem oficiais.

É importante conhecer o número de emergência para turistas – 911 (gratuito e disponível 24/7) – pois o Ministério de Mobilidade Humana tem programas especiais e preferenciais para dar assistência a turistas em casos de emergência (saúde, acidente, insegurança, etc). Pode também descarregar a aplicação para o seu telemóvel: http://www.ecu911.gob.ec/aplicacionparacelulares/. Em Quito existe “Polícia Turística”, e qualquer denúncia pode ser efectuada através do seguinte link: http://www.gestiondefiscalias.gob.ec/rtourist

Pela sua localização geográfica tem-se registado alguns desastres naturais (terramotos, erupção vulcões, cheias, etc). Há vários vulcões activos (Cotopaxi, Tungurahua, Reventador) – todos são monitorizados diariamente e, em caso de perigo, são emitidos avisos antecipados (mais informação disponível no website do Instituto Geofísico Nacional do Equador:  http://www.igepn.edu.ec/ e Secretaria de Gestão de Riscos: http://www.gestionderiesgos.gob.ec/) É recomendável realizar a visita a estes vulcões acompanhado de um guia.

O risco de terramotos é real: em abril de 2016 um sismo de magnitude 7.8, na costa norte do país, provocou morte de centenas de pessoas e destruição massiva de infraestruturas. Desde então registaram-se algumas réplicas – a última, de magnitude 5.7, também na mesma região, no passado dia 19 dezembro, causando sobretudo destruição de infraestruturas.

  Existe também a aplicação “Ecuador Seguro”, para telefones de última geração, elaborada pelo Ministério Coordenador de Segurança do Equador, que oferece informação sobre fenómenos naturais que afetam o país e eventuais situações de emergência. Caso possível, e dada a sua utilidade, recomenda-se que faça uso desta aplicação aquando da visita ao Equador.

Informação geral

Geografia: O Equador fica situado na cordilheira dos Andes, entre a Colômbia e o Peru. Possui a região insular (Galapagos), a 1.000 km da costa equatoriana e integra 200 vulcões, dos quais 7 são activos. O território tem uma superfície de 270.667 Km2 e conta com 12411.000 habitantes.

As cidades mais importantes são Quito (capital), Guayaquil, Cuenca, Manta, Salinas.
Divisão Político-administrativa: 23 províncias com seus respectivos cantões e paróquias.

Desastres Naturais:

Pela sua localização geográfica tem-se registado alguns desastres naturais (terramotos, erupção vulcões, cheias, etc). Há vários vulcões activos (Cotopaxi, Tungurahua, Reventador) – todos são monitorizados diariamente e, em caso de perigo, são emitidos avisos antecipados (mais informação disponível no website do Instituto Geofísico Nacional do Equador:  http://www.igepn.edu.ec/ e Secretaria de Gestão de Riscos: http://www.gestionderiesgos.gob.ec/) É recomendável realizar a visita a estes vulcões acompanhado de um guia.

O risco de terramotos é real: em abril de 2016 um sismo de magnitude 7.8, na costa norte do país, provocou morte de centenas de pessoas e destruição massiva de infraestruturas. Desde então registaram-se algumas réplicas – a última, de magnitude 5.7, também na mesma região, no passado dia 19 dezembro, causando sobretudo destruição de infraestruturas. 

Existe também a aplicação “Ecuador Seguro”, para telefones de última geração, elaborada pelo Ministério Coordenador de Segurança do Equador, que oferece informação sobre fenómenos naturais que afetam o país e eventuais situações de emergência. Caso possível, e dada a sua utilidade, recomenda-se que faça uso desta aplicação aquando da visita ao Equador.

Clima
Alta temperatura na costa e temperatura média na serra.
O Equador fica situado na cordilheira dos Andes, entre Colômbia e Peru.

Idioma
A língua oficial é o espanhol. Também se falam dialectos indígenas.

Moeda local / Sistema Bancário

A moeda local é o US dólar (norte-americano). Devido ao aumento de falsificações, em vários locais não se aceitam notas de 50 ou 100 USD, pelo que é conveniente ter notas de valor inferior.

Modalidades de pagamento: Cartões de crédito e Sistema Bancário. Rede de caixas multibanco aceitável por todo o país.

Regime de entrada e estada

Vistos

Não é necessário visto para estadias em turismo não superiores a 90 dias. Para estâncias superiores ou por motivo de trabalho/estudo, recomenda-se consultar a Embaixada do Equador em Londres (que cobre Portugal) antes de realizar a viagem.

Caso entre no país por terra (desde Brasil ou Colômbia), garanta que lhe carimbam o passporte à entrada (exija que o autocarro pare para o efeito), reflectindo a data de entrada no país, para evitar dificuldades posteriores.

Validade do passaporte

O seu passaporte deverá ter validade mínima de 6 meses a partir do dia de entrada no Equador, sem o qual não será admitida a entrada. Já se registaram vários casos de portugueses deportados por não terem a validade de 6 meses exigida.

Aconselhamos que tenha sempre consigo uma fotocópia do seu passaporte assim como do selo de entrada no Equador na eventualidade de extravio ou furto.

Devolução de IVA

Todo turista não residente poderá no momento de saída do território equatoriano pedir devolução de IVA pelo consumo de bens e serviços. Mais informação: http://www.sri.gob.ec/de/356


Condições de segurança

Ainda que a situação securitária não seja preocupante, tem-se registado nos últimos anos um importante aumento da insegurança por todo o país, e em especial nas grandes cidades e núcleos urbanos, na zona turística da praia de Montañita, e na região fronteiriça com a Colômbia.


Têm-se registado assaltos à mão armada, bem como roubos vulgares de objetos de valor e propriedades privadas, e ainda “sequestros de curta duração” (para levantar todo o dinheiro disponível dos cartões de débito e crédito).


Tem-se também registado um aumento de roubos nos autocarros entre localidades, pelo que se recomenda não perder de visto a sua bagagem pessoal. A maioria das perdas/ roubos de passaportes têm-se registado nos terminais de autocarro, muitas vezes devido à ajuda oferecida para levar as malas, pelo que se recomenda guardar os passaportes em locais seguros.


São conhecidos casos de assaltos a turistas após terem sido "neutralizados" através da ingestão ou inalação involuntária de drogas (por ex: escopalamina). Há assim que tomar todo o cuidado com abordagens não solicitadas por parte de desconhecidos.


Recomendam-se pois as precauções normais a que o bom senso obriga: não descuidar objetos pessoais, não ostentar bens de luxo, evitar falar ao telemóvel na rua, não passear por lugares pouco frequentados nos centros urbanos, não viajar desacompanhado para locais remotos e de preferência evitar viagens noturnas, escolher agências de viagens reputadas (com aval do Ministério do Turismo equatoriano), sobretudo se pretende realizar excursões a locais mais isolados, bem como transportes e táxis oficiais. Em suma, recomenda-se que mantenha uma atitude de vigilância e cautela, em especial nos centros históricos das grandes cidades.


Só se devem utilizar táxis (amarelos) que apresentem seu número de registo bem visível e, se possível, apenas aqueles chamados por telefone ou por aplicações de telemóvel.


Alerta-se sobre os perigos em matéria de droga. A posse e o tráfico de drogas são severamente punidos por lei no Equador (as prisões são geralmente duras e as penas de prisão agravadas). Cerca de 90% dos estrangeiros detidos no país estão a cumprir pena por posse e/ou tráfico de droga. Cada viajante deverá fazer as suas próprias malas e não transportar qualquer encomenda de uma outra pessoa, nem nunca perder de vista as suas bagagens. Em hipótese alguma deverá aceitar a ajuda de desconhecidos para transportar suas bagagens.

Transportes

As estradas principais equatorianas são em geral boas, tendo melhorado significativamente nos últimos anos. Porém, devido à geografia do terreno e à deficiente sinalização nas redes secundárias, recomenda-se precaução na condução, pois o Equador é um dos países na América Latina com maior índice de acidentes de trânsito.

Transportes rodoviários e ferroviários: há transportes interprovinciais regulares (boas condições). Há redes de transportes especiais para turistas.

Linhas aéreas equatorianas: Tame, Lan Equador. Cobrem as principais cidades do país e Galapagos.

Transporte marítimo: principalmente turístico entre as ilhas Galápagos (não é porém possível chegar a este arquipélago de outra forma que não seja avião)

Carta de Condução:

Os turistas podem conduzir com a carta de condução portuguesa.

Quanto aos residentes no país, informa-se que, nos termos do art. 10º da nova Ley Orgânica de Transporte Terrestre, Tránsito y Seguridad Vial, os cidadãos estrangeiros, residentes no Equador, que possuam uma carta de condução vigente, seja esta profissional ou não, emitida pelo seu Estado de origem, podem trocar a mesma por uma similar equatoriana, mediante apresentação dos seguintes documentos:

- Apresentação do original da carta de condução e respetiva fotocópia; - Apresentação do original do documento de identificação pessoal (BI ou passaporte) e respetiva fotocópia, visto e comprovativo do registo na Direção de Emigração (pertencente à Direção Geral de Estrangeiros), registo este que tem que ser efetuado num prazo de 30 dias após entrada no país; - Declaração emitida autoridade diplomática ou consular do país de origem sediada no Equador, ou num país limítrofe, comprovativa da autenticidade, da data de emissão e respetiva validade da carta de condução, desde que traduzida em castelhano; - Original e cópia do cartão que atesta grupo sanguíneo; - Duas fotografias atuais (tipo passe); - Ficar aprovado em exames psicológicos, teóricos, práticos e médicos (art.º. 94º sobredita lei); - Formulário de pedido de troca, disponível em www.ant.gob.ec Devem os elencados documentos ser entregues numa das 24 Unidades Administrativas Provinciais ou numa das 56 Agências de Atención al Usuário, que se encontram em todo o país.


Cuidados de saúde

Antes da viagem:  

Recomenda-se a todos os viajantes que tenham seguro médico e de viagem (o sistema de saúde público equatoriano atende a todas as pessoas, incluindo estrangeiros em caso de emergência, mas a sua qualidade não é idêntica à encontrada em Portugal, e os hospitais particulares exigem seguro médico ou retenção do cartão de crédito)  

E que marquem uma consulta do viajante em Portugal antes de realizar a viagem - www.ihmt.unl.pt/consulta-do-viajante/ Vacinas obrigatórias: nenhuma

Recomendadas: Febre-amarela.

A rede sanitária é precária, mas os principais centros urbanos dispõem de água potável.

Há risco de contrair malária, zika e dengue nas zonas costeiras, no interior amazónico e nos planaltos que não ultrapassem os 2.000 metros de altitude. Recomenda-se consultar o website do Ministério da Saúde Equatoriano para estar a par dos alertas e recomendações sanitárias: http://www.salud.gob.ec/

Acima de 2.500 metros (Quito encontra-se a 2.800 m) a altitude pode causar fortes dores de cabeça e grande cansaço nos primeiros dias, pelo que se recomenda durante esse período a ingestão de líquidos não alcoólicos em quantidade e a limitação ao mínimo de atividades físicas.

Endereços dos principais Hospitais e Clínicas:

Quito:

- Hospital Metropolitano – Tel.: 2261520/2269030 : Av. Mariana de Jesús s/n y Nicolás Arteta

- Hospital Vozandes - Tel. +593 23971000,Villalengua O32-37 y Avenida 10 Agosto, Quito

Hospitais Públicos:

- Maternidade gineco-obstétrico Isidro Ayora (centro de Quito), tel +593 2-266-0252, Los Rios, Quito

- Hospital del Sur-Enrique Garces (Sul de Quito), tel +593 2-266-0252, Avenida Enrique Garcés, Quito EC170131

- Hospital de Especialidades Eugenio Espejo (Centro de Quito)  tel: +593 2-250-7920, Avenida Gran Colombia, Quito 170136

- Hospital Pablo Arturo Suarez, tel: 593 2-397-9300, Ángel Ludeña, Quito

Guayaquil:

HOSPITAL CLINICA KENNEDY 042-289666

HOSPITAL UNIVERSITARIO 042-150011

CLINICA ALCIVAR 042-580030

HOSPITAL SAN FRANCISCO 042-290178

OMNIHOSPITAL 042-109000

CLINICA KENNEDY - ALBORADA 042-247900

CLINICA KENNEDY - SAMBORONDON 042-090039

CLINICA PANAMERICANA 042-565111

CLINICA GUAYAQUIL 042-563555

CLINICA SANTA GEMA 042-412332

CLINICA DEL SUR  042-444772

CLINICA MARIA AUXILIADORA  042-371600

CLINICA MILLENIUM 042-681434

CLINICA SAN MARTIN 042-405514

CLINICA SANTA MARIA 042-417824

CLINICA URDENOR 042-244124

GRUPO HOSPITALARIO KENNEDY 042-289666

SOLCA - INSTITUTO ONCOLOGICO DR. JUAN TANCA MARENGO 042-281744

CLINICA MATERNIDAD LA SALUD 042-334766

CLINICA JUAN BOSCO 042-370777


Comunicações

As redes telefónicas, fixa e móvel (3G, 4G), são modernas e de uma maneira geral funcionam bem, só nalgumas zonas remotas poderá não haver sinal. Para a utilização de telemóveis portugueses deverá ser confirmada, junto das respetivas operadoras, se têm serviço de roaming. Há porém dificuldade no envio e recepçao de sms para a Europa.

Existe também de maneira geral acesso à internet wifi em hotéis, restaurantes e cafés, centros comerciais e nalguns museus.


Informações úteis

Números de emergência no Equador

- Policia Nacional: 911

- Bombeiros: 911

- Emergência Médica: 911

Números de telefone da Polícia nas principais cidades:

Quito: 2 55.09.18/2 55.07.70/2 55.07.25/255.09.25/255.02.43

Guayaquil: 04.239.1459/04.229.1410/04.224.5464.

Manta: 05.292.12/05.292.0911.

Portoviejo: 05.263.05.20/05 2 63.03.45/05 2 63.11.11

Esmeraldas: 06.2 70.0560/06.2 70.0559

Machala: 07.293.52.83/07.293.3082/07.293.1104/07.293.5282

Galápagos: 05.252.0129/05.252.6101

Tulcán: 06.298.0622/06.298.0345/06.298.1321/06.298.5756

Ibarra: 06.264.1429/06.295.0444/06.295.7326

Ambato: 03.284.6400/03.284.3656

Santo Domingo: 02.276.3708/02.276.3709/02.274.5286

Cuenca: 07.282.2200

Loja: 07.258.45.01/07.256.0500

Tena: 06.288.6425/06.288.6101/06.288.7306/06.288.6206

Morona Santiago: 07.270.0104

Lago Agrio: 06.283.0101/06.283.2880.

Números de Emergência Consular em Portugal

Se é cidadão português ou familiar ou amigo de algum cidadão português em situação de emergência, contacte por favor o Gabinete de Emergência Consular:

 

Telemóvel de Emergência (atendimento 24 Horas)        96 170 64 72

• Linhas telefónicas fixas:                                             21 792 97 14

• Fax Geral                                                                   21 792 97 75

• Endereço de correio eletrónico geral:  gec@mne.pt

Consulte também os contactos da Embaixada de Portugal em Bogotá e dos Consulados Honorários.

Em caso de emergência, e visto que Portugal não dispõe de representação diplomática no Equador, poderá também solicitar apoio a uma Embaixada de um Estado-Membro da União Europeia.

Endereços das representações consulares portuguesas (postos e secções consulares) no estrangeiro: http://www.portaldascomunidades.mne.pt/ Endereços das representações estrangeiras (diplomáticas e consulares) em Portugal: http://www.min-nestrangeiros.pt/

 




 

Partilhar:
FacebookTwitterGoogle +E-mail