Portal das Comunidades Portuguesas

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Egipto

 

 

 
Última atualização:  2016-11-15 
 
 
Nota importante
 
As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações e conselhos, e são suscetíveis de alteração a qualquer momento. Nem o Estado Português, nem as representações diplomáticas e consulares, poderão ser responsabilizadas pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí advenientes.
  
 
Avisos
 
1. Desaconselham-se quaisquer viagens às áreas fronteiriças com a Líbia e o Sudão, bem como ao norte da península do Sinai.
 
2. Desaconselham-se as viagens não essenciais ao sul da península do Sinai, ao eixo de Suez – Ismailia - Port Saïd, principalmente aos locais habituais de realização de manifestações e potenciais focos de violência.
 

Informação Geral

Clima
 
- Muito quente no Verão (Junho a Setembro), ultrapassando frequentemente os 40º;
- Temperado no Inverno (Outubro a Maio).
 
Língua
 
A língua oficial é o árabe. Nos locais mais frequentados por turistas fala-se também o inglês e, em muito menor medida, francês e espanhol.
 
Moeda local / sistema bancário
 
A moeda local é a libra egípcia. São aceites cartões de crédito (sobretudo Visa) e podem fazer-se levantamentos de moeda local, em multibanco, por norma até 3000 libras egípcias / dia.
 
 

Regime de entrada e estada

 
 
Regime de vistos
 
Os vistos de entrada são obrigatórios para todos os viajantes, devendo os passaportes ter a validade de 6 meses ou mais. Os vistos para o Egipto podem ser requeridos nas representações diplomáticas e consulares egípcias ou obtidos, no caso de passaportes comuns, à chegada ao aeroporto, mediante o pagamento de 25 dólares US. Está em vigor um acordo para supressão de vistos diplomáticos e de serviço.
 
 

Condições de segurança

 
O Egipto vive um período político de transição, agravado por um cenário de incerteza económica e pelo aumento da criminalidade. Têm sido registados ataques esporádicos contra turistas, nomeadamente em janeiro de 2016, na cidade balnear de Hurghada, onde três nacionais europeus ficaram feridos na sequência de um ataque num hotel da referida estância e um ataque terrorista a um autocarro de turistas no Cairo, embora não se registassem vítimas.
Neste contexto, desaconselham-se, em geral, as viagens não essenciais ao Egito, com exceção das viagens organizadas por operadores turísticos credíveis.
 
As manifestações nos grandes centros urbanos podem degenerar em atos de violência.
 
Embora a situação se apresente relativamente normalizada em alguns dos centros turísticos mais importantes do Mar Vermelho, em Luxor e Assuão, recomenda-se aos cidadãos nacionais que tomem todas as precauções. As deslocações devem realizar-se, sempre que possível, em grupos organizados.
 
Nestas circunstâncias, recomenda-se aos cidadãos nacionais que:
 

1. Evitem qualquer viagem às áreas fronteiriças com a Líbia e o Sudão, bem como ao norte da península do Sinai.  

2. Evitem a utilização de itinerários não balizados no Sinai e no Noroeste (perigo de minas no deserto líbio e na região de El-Alamein). Evitem de forma geral em qualquer circunstância Safaris no Deserto ou off-track, com especial destaque para o Deserto Ocidental e o Sinai.

3. Evitem quaisquer viagens não essenciais ao sul da península do Sinai, às províncias do Delta e do Canal de Suez (com destaque para o eixo Port Saïd - Ismailia – Suez).  

4. Tenham particular cuidado nos locais de culto.  

5. Estejam sempre documentados e sigam as instruções que a polícia e o exército egípcios lhes transmitam.  

Caso decida viajar para o Egipto, recomenda-se que informe o Gabinete de Emergência Consular do MNE ou, já no Egipto, a Embaixada de Portugal no Cairo.  

A travessia de zonas do Deserto do Sahara poderá revelar-se problemática e é desaconselhada, atenta a menor densidade de estruturas de apoio (saúde, transportes, comunicações, hotelaria e restauração).

 
 
Números de telefone da Polícia
 
- Cairo: (+202) 3688281;
- Alexandria: (+203) 4809144;
- Hurgada: (+2065) 3350024;
- Sharm el-Sheikh: (+2069) 3663601 ou 2;
- Luxor: (+2095) 2370422;
- Assuão: (+2097) 2311960 ou 3401004;
 
A fronteira de Rafah encontra-se sujeita a restrições (não podendo ser atravessada, sem notificação prévia das autoridades egípcias) e a zona fronteiriça com Gaza está sujeita a medidas de segurança.
 
Qualquer aumento de tensão no Médio Oriente poderá ter impacto na situação interna egípcia pelo que deverão ser acatadas as recomendações das autoridades (polícia de turismo) e ser mantida uma atitude geral de precaução.
 
A situação da segurança pública apresenta um risco de criminalidade médio. Recomenda-se que documentos de identidade sejam guardados no cofre do hotel, utilizando cópia dos mesmos. Prudência na utilização de cartões de crédito, devendo conservar-se os talões das compras.
 
O número de urgência é o 112, quer se trate de polícia, bombeiros ou assistência médica.
Polícia Turistica 126
 
 
 

Transportes

 
Devido ao reforço dos controlos de segurança nos aeroportos das principais cidades egípcias – após o atentado reivindicado pelo Daesh, de que resultou a queda de uma avião da companhia russa Metrojet, proveniente de Sharm-el-Sheikh – , recomenda-se aos viajantes que antecipem a sua hora de chegada aos aeroportos.
 
O país tem uma boa rede de transportes aéreos, ferroviários e rodoviários. Os mini bus e as classes inferiores dos comboios são de evitar. Nas cidades é prática recorrer ao serviço de táxis, recomendando-se no Cairo os novos veículos brancos ou amarelos porque dispõem de taxímetros (se utilizar outros táxis convém negociar o preço antes do início do serviço).
 
Segurança rodoviária
 
São frequentes os acidentes na estrada. Desaconselha-se a condução de automóvel em todo o país, sendo preferível o aluguer de viatura com motorista ou a utilização de táxi.No caso de ser impreterível utilizar carro particular, recomenda-se que as deslocações sejam feitas pelo menos a dois carros e sempre de dia.  
 
 
Transporte marítimo
 
Os cruzeiros no Nilo são uma forma interessante de visitar o Sul do Egipto e as zonas históricas.

 

Cuidados de saúde

 
 
Recomenda-se um seguro de viagem que cubra despesas médicas e de repatriação. Foram identificados alguns casos de gripe suína, segundo o Ministério da Saúde, e a presença do vírus da poliomielite, pela primeira vez nos últimos oito anos. Assim, a vacina contra difteria / polio / tétano é altamente recomendável, aconselhando-se igualmente para a hepatite A e febre tifoide. Sugere-se a utilização de repelente contra insetos.
 
Evitar alimentos crus ou pouco cozidos (exceto em restaurantes de maior qualidade). Não beber água da torneira mas de garrafas devidamente seladas e respeitar sempre as recomendações de higiene das autoridades locais.
 
Hospitais
 
Cairo:
- Misr International: 12 rua El Saraya, Doki - tel. 260 82 61/69;
- Al Salam International: Corniche El Nil - Tel. 2524 02 50;
- Dar El Fouad: 6 October City - Tel 3835 60 28/30;
- Anglo-American: Zamalek - Tel. 2735 61 62;
 
Alexandria: Smouha hospital, 247 av. El Horreya - Tel. 03- 427 26 52 / 59;
 
Luxor: Al Salam International - Tel. 095-237 96 29 ou 238 71 92/94;
 
Hurgada e El Gouna:
- Nile hospital - Tel. 065-355 09 74/77;
- El Gouna - Tel. 065-358 00 11/16;
 
Sharm El-Sheikh: Al Salam International - Tel. 069-366 08 93/95.
 

Telecomunicações

 
 
As telecomunicações funcionam de forma satisfatória. Existem cartões pré-comprados para as cabines que se encontram nas cidades. Os telemóveis portugueses podem ser utilizados, mediante roaming.
 

Informações úteis

 
 
É recomendado aos viajantes bom senso no uso do vestuário para evitar ferir suscetibilidades, em particular de ordem religiosa.
 
Estupefacientes: o consumo e posse de droga são severamente punidos (25 anos de prisão ou pena capital), independentemente das quantidades ou do tipo de substância.
 
Objetos arqueológicos: o comércio ou exportação são proibidos por lei.
 
Endereços Úteis
 
Embaixada de Portugal no Cairo
- Endereço: 25 Ahmed Heshmat St., Zamalek, Cairo;
- Telefones: (0020) 227350779 / 81;
- Fax: (0020) 227350799;
- Correio eletrónico: embassy@mne.pt
- Encarregado da Secção Consular: Dr. Salvador Pinto da França – (002) 01068511611 
  Dra. Lília Ramos - (002) 010066587175.
- Horário de Atendimento: de Domingo a quinta-feira, das 9h00 às 15h00.
 
Ministério dos Negócios Estrangeiros: www.mfa.gov.eg
 
Representações estrangeiras (diplomáticas e consulares) em Portugal - http://www.mne.gov.pt/mne/pt/ministerio/CorpoDiplomatico/
 
 
 
Partilhar:
FacebookTwitterGoogle +E-mail