Última actualização: 2019-03-06

Nota importante

As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações e conselhos, e são susceptíveis de alteração a qualquer momento. Nem o Estado Português, nem as representações diplomáticas e consulares, poderão ser responsabilizadas pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí advenientes.

Aviso

1. De acordo com o a legislação em vigor na Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), uma pessoa que à entrada em Macau transporte consigo numerário ou instrumentos negociáveis ao portador, tais como: cheques de viagem, cheques, letras, ordens de pagamento e livranças, cujo valor global atinja ou ultrapasse MOP120 000,00 (cento e vinte mil patacas) deve declarar esse facto aos agentes dos Serviços de Alfândega com declaração preenchida e utilizando o circuito vermelho para a passagem no controlo aduaneiro; sendo que à saída do Território, deve declarar com veracidade esse facto, se for interpelado para o efeito pelos agentes dos Serviços de Alfândega. Caso não cumpra as obrigações de declaração, é punível com multa de 1 000,00 a 500 000,00 patacas. Os viajantes em escala na RAEM para outro destino não precisam de declarar. Para mais detalhes, visite a página eletrónica dos Serviços de Alfândega em: https://www.customs.gov.mo/cn/customs6.html

2. Foi detetada a existência do vírus da gripe aviária H7N9 numa amostra de um lote de aves de capoeira vivas importadas da RP China (Zhuhai) para Macau. Para prevenir a gripe aviária H7N9, os Serviços de Saúde da RAEM, além de exigirem aos organismos administradores de aves e às instituições de saúde para se manterem em alerta e procederem às preparações necessárias, apelam também aos cidadãos e turistas para prestarem atenção ao seguinte:

- Evitar deslocar-se aos mercados, granjas e outros locais onde há venda ou exposição de aves com casos de infecção humana pela gripe aviária H7N9;
- Evitar ter contacto com as aves, suas secreções e excrementos, e em caso de contacto, lavar as mãos de imediato;
- Não comprar ou transportar aves não inspecionadas; evitar consumir carne, vísceras, produtos derivados de sangue e ovos de aves mal cozinhados;
- Lavar as mãos com frequência;
- Se houver sintomas de febre, tosse e dificuldades respiratórias, entre outros, dever-se-á usar máscara e dirigir-se ao médico o mais rapidamente possível, devendo informá-lo de forma detalhada da história de viagem e do eventual contacto com animais.

  • Partilhe