Mantém-se a situação de instabilidade social que se vive no Chile desde o dia 18 de Outubro. O estado de emergência e o recolher obrigatório decretados em várias cidades e regiões do país foram levantados, mas há a possibilidade de serem reativados, se voltarem a verificar-se os casos de violência que ocorreram na tarde/noite de dia 12.


Continuam a verificar-se frequentes manifestações e protestos de rua, por vezes sem aviso prévio, de que grupos minoritários se aproveitam para praticar atos violentos e provocar graves alterações da ordem pública, com pilhagens de lojas, barricadas em ruas e estradas, vandalização de equipamentos e edifícios públicos, incêndios, etc., incluindo alguns casos de destruição de igrejas e património histórico. A polícia utiliza canhões de água e gás lacrimogéneo para dispersar os manifestantes e, com frequência, disparos com chumbos ou balas de borracha.


Recomenda-se grande precaução a todos os viajantes ou residentes no Chile, evitando ajuntamentos e manifestações e, se possível, deslocações ao centro das cidades, especialmente em Santiago, a partir da tarde. Devem manter-se informados através de canais fidedignos, incluindo o facebook da Embaixada, e observar as instruções das autoridades.


Algumas universidades/cursos continuam a funcionar, estando a decorrer aulas/exames; outras Faculdades, porém, consideram a possibilidade de encerrarem o segundo semestre académico mais cedo, ou apenas entre Janeiro e Março de 2020.

 

  • Partilhe